Bom dia, boa quarta-feira, 02/02/2022!

 

CBOT trabalha em alta, na esteira sustentada por cortes na projeção da safra na América do Sul em especial do BR com nova consultoria divulgando números abaixo dos 130 mi tons.
Farelo e óleo dão suporte ao grão devido ao clima seco na Argentina, os preços do farelo de soja aumentaram 4% ontem e continuam subindo agora pela manhã com alta de 1%.

Mercado de clima, prêmios subindo e sinais de demanda parecem fortalecer o patamar de $15/bu para soja grão com a especulação dos fundos multimercados.

Nos últimos 5 dias tivemos avanço de 98 pontos no ZSH-22.

Em paralelo a colheita segue avançando e especialistas seguem fazendo as contas do potencial da safra brasileira.
As condições das lavouras na Argentina continuam melhorando após as chuvas recentes, com 38% da safra de soja classificada como boa contra 30% na semana passada.

O USDA informou que 198,22 mbu de soja foram esmagados em dezembro. Isso ficou acima da estimativa média e no topo da faixa esperada, para a maior queda de um mês já registrada. O recorde anterior era no início desta temporada com 196,92 mbu esmagados em outubro. O esmagamento do ano de comercialização de 21/22 atingiu 747,15 mbu nos primeiros 4 meses, 8,1 mbu atrás do ritmo recorde do ano passado e 34,1% do total previsto pelo USDA. Os estoques de óleo de soja ficaram abaixo das estimativas, mas ainda acima de novembro, em 2,466 bilhões de libras.

Principais bolsas mundiais operam em alta, com investidores repercutindo a temporada de divulgação de resultados nos EUA, de olho nos dados da criação de empregos privados e com atenção na reunião da OPEP+ que define a produção de petróleo para março.
Rumores sobre a intensidade da elevação da taxa de juros pelo FED seguem sendo discutidos.

Na Ásia, os mercados permaneceram fechados por conta do feriado do Ano Novo Lunar.

Tensão geopolítica entre Rússia e Ucrânia monitorada pelo mercado, fazendo pressão nos preços do petróleo, ajudando a dar sustentação ao preço do óleo de soja consequentemente.

Petróleo estável no aguardo da OPEP+;
Minério de ferro, feriado na China;
DXY forte queda 0,42%;

No BR a atenção dos investidores está no COPOM que deve definir hoje a partir das 18h30 a nova taxa Selic, consenso do mercado está para uma alta de 1,50% elevando a taxa a 10,75%aa.
Temporada de divulgação de resultados no BR também deve trazer especulação adicional a B3.
No campo político, ano legislativo foi aberto e no foco das discussões esta a PEC dos combustíveis bem como rumores sobre os rumos das eleições de outubro.

Bons negócios.

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.