Bom dia!

 

CBOT trabalha mista neste inicio de quinta-feira.

Rali climático e preocupações geopolíticas seguem regulando o mercado.

Acordo de exportação de grãos no mar negro:
Preocupações em torno da usina nuclear de Zaporizhzhia surgem menos de duas semanas antes do próximo Grain Deal expirar, adicionando pressão adicional no mercado.
Agentes de mercado estão avaliando como isso pode afetar as negociações e acordos comerciais.

A oscilação no preço do milho se deve à pressão de colheita do milho segunda safra no Brasil, onde se estima que esteja sendo colhido cerca de 20%.
A pressão da safra está afetando as cotações do milho no Brasil, tanto na B3 quanto no mercado físico.
Internacionalmente, os preços do milho também têm experimentado oscilações mistas, refletindo incertezas e diversos fatores que influenciam o mercado.

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, chegou a Pequim, iniciando uma visita de quatro dias que deve se concentrar no aumento dos laços entre as duas maiores economias do mundo.

Destaques da agenda ficam com estoques de petróleo dos EUA e condições das lavouras da Argentina.

Principais bolsas mundiais caem repercutindo a ATA do FOMC com investidores avaliando as perspectivas de política monetária que podem ser abordadas pelo FED nas próximas reuniões.
Investidores aguardam dados do emprego dos EUA e leitura dos PMI´s.

No BR, com agenda econômica esvaziada, as atenções estão voltadas para as pautas em discussão no congresso nacional, o presidente da Câmara dos deputados pretende dar andamento a reforça tributaria.

Boa quinta-feira, bons negócios!

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.