Bom dia!

 

CBOT trabalha estável neste início de sexta-feira, após o WASDE manter a projeção para estoques finais de soja dos EUA, enquanto a ampla maioria dos analistas esperava um aumento. Foi além reduzindo os estoques mundiais de 103,8 mi tons para 102 mi tons.
O corte de produção veio via China, no entanto, as importações permaneceram estáveis em 100 mi tons. Analistas consideraram o report neutro/favorável para soja.

Na Argentina o plantio de soja chega 56,1% da área prevista e de milho a 39,5%.
Com previsão de ser a menor área cultivada dos últimos 15 anos segundo a Bolsa de Cereales de Buenos Aires.

Mercado segue monitorando o clima e os efeitos que a La niña, tida como fraca a moderada este ano por especialistas, podem trazer as lavouras. Modelos climáticos recentes sugerem chuvas para a próxima semana no sul do BR e na Argentina trazendo um certo conforto para as lavouras. Sinais de demanda seguem monitorados de perto pelo mercado.

Principais bolsas mundiais trabalham majoritariamente em queda, investidores aguardam dados da inflação ao consumidor nos EUA, as 10h30.
Investidores monitoram a reação do FED com o aperto do tapering (redução da compra de ativos) frente aos dados do desemprego conhecidos pelo mercado ontem, investidores reforçam as apostas que o FED pode começar a subir a taxa de juros antes do esperado.

Mercado monitora as ações tomadas por países para conter o avanço da nova variante do Covid em meio as preocupações econômicas trazidas por restrições de mobilidade.

Na Ásia a preocupação quanto ao default da incorporadora imobiliária Evergrande, segue assombrando os mercados.

Petróleo leve alta;
Minério de ferro estável;
DXY leve alta;

No BR destaque do dia também é inflação com a divulgação do IPCA, base novembro, as 9h.
Assuntos como, Auxilio Brasil, desoneração da folha de pagamentos, orçamento para 2022 e preço dos combustíveis seguem no radar dos investidores.

Boa sexta-feira, bons negócios.

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.