Bom dia!

 

CBOT trabalha mista neste início de sexta-feira.

Ontem, dados semanais de vendas externas dos EUA vieram mais próximos do piso das estimativas de analistas e pesaram sobre as cotações, influenciadas pela forte queda das cotações do óleo de soja e petróleo que foram contrabalanceadas com o forte avanço das cotações do farelo com a perspectiva de produção menor na Argentina.

Mercado parece ter absorvido o impacto dos novos números do USDA e é dado como certo que a demanda externa compradora deve se descolar para o Brasil.

Consultorias independentes apontam pra comercialização de soja 98% da safra 2021/22 e 27% para 2022/23 que está abaixo da média de 5 anos que é 43%.

Fundos especuladores acompanham os modelos climáticos atualizados e o avanço da colheita no Brasil que engrenou.

NOAA informa que as influencias da La Niña devem enfraquecer a partir de agora e entraremos um período de neutralidade.

Preocupações com a retomada econômica da China pairam sobre as mesas de operações.

Principais bolsas mundiais trabalham em baixa o temor de recessão econômica volta a ser tema das mesas de negociações com investidores digerindo dados econômicos e potenciais novos aumentos de juros pelo FED.
Temporada de balanço das grandes empresas segue.

Petróleo 2,5% com o corte de produção na Rússia;
Minério de ferro 0,80%;
DXY 0,20%;

No BR mercado segue digerindo os balanços das grandes empresas.

Autonomia do Branco Central segue no foco do mercado com o atual governo criticando a postura da instituição, meta de inflação e taxa de juros trazendo incertezas e gerando stress ao câmbio.

Na próxima segunda-feira, Roberto Campos Neto presidente do BC, irá ao programa de TV Roda Viva. Todo o mercado vai acompanhar o que ele tem a dizer.

Encontro entre o Biden e Lula nos EUA.

Boa sexta-feira, bons negócios!

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.