Bom dia!

 

CBOT trabalha em alta para o complexo soja e milho e em forte alta para trigo.

Provavelmente traders irão fazer ajustes finais em suas posições para receber os dados do WASDE amanhã as 13h.
O interesse maior do mercado parece estar no lançamento dos novos números para a safra dos EUA uma vez que já sabemos que a relação de estoques é bastante apertada.
Ajustes de produção e exportação da Ucrânia e Rússia são esperados devido ao conflito armado.
Para o Brasil grandes consultorias já vêm cortando a estimativa de produção para o milho de segunda safra, devido à estiagem no centro oeste, que mesmo assim deve ser bem superior a observada no ano passado.

Fundamentos básicos seguem monitorados, como modelos climáticos atualizados para o plantio nos EUA, evolução das lavouras de milho no BR e andamento da colheita na Argentina com posterior plantio de trigo.
Reflexos do mercado financeiro nas commodities e problemas logísticos são monitoras de perto.

Principais bolsas mundiais operam em alta, com correção das recentes quedas da véspera, notícias positivas vindas da Ásia com os casos de covid arrefecendo e uma lenta retomada das atividades econômicas ajudam a impulsionar o mercado.
Investidores monitoram o importante dado do índice de preço ao consumidor americano que deve ser divulgado agora pela manhã, é um índice que o FED leva em conta na tomada de decisão de juros no futuro.

Dados da inflação na China vieram acima do esperado, veremos como o gigante asiático irá combate-la com sérios problemas na cadeia de suprimentos e lockdowns.

Na Alemanha, a inflação ao consumidor foi divulgada e veio no maior nível dos últimos 40 anos, 7,4% base Abril.

Mercado segue acompanhando o conflito armado no leste europeu, dados inflacionários ao redor do mundo e a temporada de divulgação de balanços.

Petróleo +3,8%;
Minério de ferro forte alta de 5,32%;
DXY -0,35;

No BR destaque para os dados do IPCA e temporada de balanços.
No campo político após o aumento do preço do diesel houve a troca de comando no ministério de minas e energia.
A média móvel de sete dias de novos casos de covid no BR saltou para 29% em comparação com 14 dias antes. Cuide-se!

Boa quarta-feira, bons negócios.
FLN

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.