Bom dia, a Bolsa de Chicago opera próximo à estabilidade, sem muitos fatores para movimentar o mercado. O mercado segue de olho na consolidação da safra norte-americana e na tempestade tropical Harvey.

O USDA reportou ontem a venda de 198.000 toneladas de soja 2017/18 para a China e 226.000 toneladas de milho 2017/18 para o México. Na segunda-feira o Departamento já havia reportado a venda de 160.020 toneladas de milho 2017/18 para o México.

Fundos vendedores ontem estimados em: 7.000 contratos de milho e 3.000 contratos de soja. Fundos compradores estimados em 3.000 contratos de trigo.

A Statistics Canada divulga amanhã o novo relatório de safras do país, com expectativa de produção de 26,2 milhões de toneladas de trigo, abaixo dos 31,73 milhões da safra anterior.

A colheita do milho segunda safra no Paraná está na reta final, com 91,26% colhido. Campos gerais e oeste do estado com a colheita praticamente finalizada. No norte do estado, colheita em torno de 80%.

A colheita de trigo no Paraná avançou a 5,85%, adiantado frente a safra 2015/16, porém atrasada frente aos anos anteriores. As condições das lavouras seguem com 50% em estado bom, 32% em estado regular, e 18% em estado ruim.

O dólar opera em alta frente a outras moedas após dados positivos na economia norte-americana. O PIB dos EUA cresceu a taxa anualizada de 3% no segundo trimestre de 2017, na segunda estimativa, contra 2,7% esperados e 2,6% da primeira estimativa. No primeiro trimestre do ano, o PIB dos EUA cresceu 1,2%.

O setor privado dos EUA criou 237 mil postos de trabalho em agosto, segundo relatório do ADP, ante expectativa de 183 mil postos criados. Este relatório é considerado uma prévia do relatório de empregos mais importante dos EUA, o Payroll, que será divulgado nesta sexta-feira (1º).

No Brasil, a moeda abriu com leve alta e agora vale R$3,1660, +0,05% (10h25). Hoje continua a análise dos destaques da MP 777, que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP) do BNDES. A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou no fim da noite de ontem a proposta de revisão da meta fiscal 2017 e 2018, com rombo de R$159 bilhões. Ontem a moeda subiu 0,03%, a R$3,1632.

As bolsas mundiais operam em alta com o alívio nas tensões com a Coreia do Norte.

Os futuros do petróleo operam em baixa, mesmo após redução maior do que a esperada nos estoques dos EUA, com os investidores focando no fechamento de refinarias nos EUA. O Instituto Americano de Petróleo (API) informou que os estoques de petróleo bruto dos EUA recuaram 5,8 milhões de barris na última semana, ante expectativa de recuo de 1,5 milhão. Hoje saem dados oficiais do Departamento de Energia dos EUA (DoE).


CLIMA

No Brasil, a frente fria segue estacionada no Uruguai, com mais chuvas para o extremo sul do Rio Grande do Sul hoje. Chuvas no litoral do Nordeste e região amazônica. No restante do país, tempo quente e seco.

Previsão de Precipitação Brasil, 24 horas, em milímetros.

Na Argentina, tempo estável no dia de hoje.

Previsão de Precipitação Argentina, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, a tempestade tropical Harvey tocou o solo da Louisana na manhã de hoje, com fortes ventos e chuvas. Expectativa de enfraquecimento da tempestade na tarde de hoje, quando será rebaixada à depressão tropical. No Meio-Oeste, chuvas isoladas no Wisconsin para o dia de hoje.

Previsão de precipitação EUA, 24 horas, em polegadas.

No dia de ontem, no Meio-Oeste, as chuvas atingiram parte do Illinois, Indiana, Ohio e Michigan, porém poucas regiões receberam chuvas acima de 10mm.

Precipitação observada EUA, 24 horas, em milímetros.

Precipitação observada EUA, 7 dias, em milímetros.


PRÊMIOS

 


MATÉRIA DO DIA

 

Conheça a tecnologia que vai tirar todos resíduos plásticos dos oceanos
Por Any Karolyne Galdino, Engenharia É

Boyan Slat, um jovem de 23 anos está criando um limpador do oceano que poderia remover 7,250,000 toneladas de resíduos de plástico dos oceanos do mundo. O dispositivo é basicamente uma rede ancorada de barras flutuantes e plataformas de processamento que são colocadas nos oceanos.

Em vez de se deslocar pelo oceano, a matriz abrangeria o raio de onde há lixo, atuando como um funil gigante. O ângulo das barreiras forçaria o plástico ir na direção das plataformas, onde seria separado do plâncton, filtrado e armazenado para reciclagem.

Slat tinha apenas 16 anos e ainda estava na escola quando ele encontrou o que ele chamou de “problema”. “Em um feriado familiar na ilha grega de Lesbos em 2010, ele tomou uma aula de mergulho e ficou tão chocado com o nível de poluição da água – “Havia mais sacos do que peixes lá embaixo” – ele prometeu pensar em uma maneira de limpar tudo. E é exatamente isso que ele fez.

O garoto voltou para casa, leu diversos livros e fez o suficiente para ficar por dentro do assunto. Então ele elaborou uma ideia de limpeza com um amigo para uma competição de ciências do ensino médio, que envolveu colocar uma longa barreira no mar para pegar grandes pedaços de plástico passando. Eles ganharam essa competição.

Veja a palestra dele na TEDx:

Slat então, fundou a The Ocean Cleanup Foundation, uma organização sem fins lucrativos que é responsável pelo desenvolvimento de suas tecnologias. Sua solução engenhosa poderia potencialmente salvar centenas de milhares de animais aquáticos anualmente e reduzir os poluentes. Também poderia economizar milhões por ano, tanto em custos de limpeza, turismo perdido quanto em danos aos navios.

Hoje a empresa emprega uma equipe crescente de 65 funcionários remunerados, de pesquisadores a engenheiros, quase todos os quais são mais velhos do que Slat. Através de plataforma de crowdfunding, ele conseguiu patrocínio que recentemente passou de US$ 31 milhões.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário