Bom dia, a Bolsa de Chicago opera entre ganhos perdas antes do relatório de vendas semanais dos EUA. USDA divulga hoje o relatório de vendas semanais para exportação dos EUA, com expectativa de vendas de soja entre 600 mil e 1,8 milhão de toneladas, e de milho entre 800 mil e 1,4 milhão de toneladas.


O plantio de soja 2021/22 no Paraná atingiu 88% dos 5,62 milhões de hectares projetados para esta safra, em linha com os anos anteriores, segundo a SEAB/DERAL. As lavouras estão com 96% em boas condições e 4% em condições médias.


O plantio do milho 1a safra 2021/22 no Paraná está praticamente finalizado, com 98,39% semeado, em linha com os anos anteriores.


A colheita do trigo 2020/21 no Paraná está na reta final, com 92,56% colhido, levemente adiantado em relação à média dos anos anteriores. Nesta safra a produção de trigo deve chegar a 3,24 milhões de toneladas, um crescimento de 2% em relação à safra anterior.


Fundos compradores ontem estimados em 20.000 contratos de milho, 16.000 contratos de trigo, 4.500 contratos de óleo de soja, 3.000 contratos de soja.

O dólar segue em alta frente a outras moedas após inflação recorde nos EUA. A taxa de inflação em outubro chegou a 6,2% no acumulado dos últimos 12 meses, o valor mais alto registado no país em 30 anos. Os dados despencaram os títulos do Tesouro e as ações de crescimento, ao mesmo tempo que ajudaram a empurrar o dólar para perto do máximo de um ano.


No Brasil a moeda segue em baixa com expectativa de maior aperto monetário pelo Banco Central após a inflação oficial atingir 10,67% no acumulado dos últimos 12 meses. Ontem o IBGE informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 1,25% em outubro, após alta de 1,16% em setembro. Foi a maior variação para um mês de outubro desde 2002 (1,31%). No ano, o IPCA passou a acumular alta de 8,24% e, nos últimos 12 meses, alta de 10,67%, acima dos 10,25% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. O líder do governo no Senado Federal, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), disse ontem que o relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios deve ser votado na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Casa na semana do dia 22. As vendas do comércio varejista do Brasil recuaram 1,3% em setembro, após recuar 4,3% em agosto, na série com ajuste sazonal, segundo o IBGE. A média móvel trimestral recuou 0,9%. Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista teve queda de 5,5%, após recuar 4,1% em agosto. O varejo acumula 3,8% no ano e 3,9% em 12 meses. No comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas recuou 1,1%, após cair 3,0% no mês anterior. A média móvel do trimestre encerrado em setembro foi -0,9%. Frente a setembro de 2020, o varejo ampliado caiu 4,2%. No ano, o varejo ampliado acumula alta de 8,0% e, em 12 meses, de 7,0%.


As bolsas globais operam em alta.


Os futuros do petróleo seguem em baixa após crescimento nos estoques dos EUA e desencadeadas por preocupações de que o aumento da inflação nos EUA poderia levar o país a liberar mais estoques de petróleo bruto estratégicos para derrubar os preços.


Os estoques de petróleo bruto dos EUA subiram 1 milhão de barris na semana encerrada no dia 5 de novembro, para 436,501 milhões de barris, segundo a Agência de Informação de Energia (EIA). A alta veio menor do que a esperada pelo mercado, que era de 2,12 milhões de barris no período. Já os estoques de gasolina recuaram 1,55 milhão de barris e os de destilados recuaram 2,61 milhões de barris.


A economia do Reino Unido cresceu 1,3% no terceiro trimestre ante o segundo, após alta de 5,5% no segundo trimestre. Na comparação anual o PIB britânico subiu 6,6% no terceiro trimestre, após crescimento de 23,6% no trimestre anterior. Os resultados vieram abaixo do esperado pelos analistas, que previam crescimento de 1,5% na base trimestral e 6,8% na base anual.


No Brasil, o tempo segue chuvoso no Centro-Norte nos próximos dias.

Previsão de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.



Na Argentina, tempo chuvoso em boa parte do país nos próximos dias.

Previsão de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Nos EUA, tempo predominantemente estável amanhã.

Previsão de Precipitação EUA, 24 horas, em polegadas.



Prêmios *referente ao dia anterior

Paranaguá

SOJA

COMPRADOR

VENDEDOR

Spot

130

140

Fev 22

35

45

Mar 22

20

30

FARELO DE SOJA

COMPRADOR

VENDEDOR

Spot

110

120

ÓLEO DE SOJA

COMPRADOR

VENDEDOR

Spot

150

170

Golfo do México – EUA

SOJA

COMPRADOR

VENDEDOR

Spot

65

70

Dez

68

72

Jan

68

73

MILHO

COMPRADOR

VENDEDOR

Spot

63

67

Dez

68

72

Jan

66

70

Afinal, quão grande é o Universo?

Nicolas Oliveira, Tecmundo


O Universo tal qual o conhecemos começou em algum momento há cerca de 13,8 bilhões de anos no evento conhecido como Big Bang. Nos seus primeiros instantes, o Universo estava repleto de partículas de matéria, antimatéria, radiação e existia em um estado extremamente quente e denso, mas que se expandia e resfriava.

Desde esse estágio inicial, o Cosmos continua se expandindo, esfriando e evoluindo de acordo com as leis da física. À medida em que isso ocorreu, uma série de eventos importantes o conduziram às estruturas que observamos e habitamos hoje: um planeta ordinário localizado em um braço externo de uma galáxia comum nos arredores de um superaglomerado local.


Da forma como o observamos hoje, o Universo é um lugar vasto e grandioso, repleto de estrelas, buracos negros, quasares, galáxias, aglomerados de galáxias e enormes regiões de vazios entre eles. É bastante notável como a humanidade tem conseguido montar toda essa história cósmica, partindo de um “nada” até chegar a essas estruturas, indo do menor dos tempos até os nossos dias.

Sabemos, por exemplo, que com o passar das eras, a interação gravitacional continuará a puxar as grandes concentrações de matéria umas para as outras, enquanto a expansão do Universo continuará funcionando para separá-las. Não muito mais que 20 anos atrás, descobrimos que o destino final do Universo possivelmente será um cenário como este: a taxa com a qual ele se expande (que ocorre devido à uma componente misteriosa conhecida como energia escura) eventualmente derrotará por completo a força exercida pela atração gravitacional. Isso significa que nosso Universo poderá nunca voltar a colapsar sobre si mesmo em um único ponto.


À medida que o Universo continua a se expandir e a crescer cada vez mais, é inevitável surgir a questão: afinal, qual é o tamanho do Universo?

Bom, não é possível responder essa questão com um valor exato, dotado de uma precisão métrica. Primeiro, porque, como já deu para perceber, seu tamanho aumenta continuamente. Segundo, porque a melhor resposta que temos é uma estimativa com base “apenas” no que conseguimos observar com nossos instrumentos e na análise dos dados.

Falar sobre essa estimativa em uma resposta relativamente simples seria: o volume que contém a porção do Universo que conseguimos ver, chamado de universo observável, se expandiu para um raio de cerca de 46,5 bilhões de anos-luz. Isso é equivalente a dizer que o diâmetro do universo que podemos estudar corresponde a aproximadamente 93 bilhões de anos-luz.


Porém, como somos curiosos e como uma resposta dessas não costuma nos satisfazer muito, logo surge a próxima: mas e o que está além? Quanto ao universo “inobservável”, aquele que não podemos ver e nem obter informações?


Quando olhamos para distâncias cada vez maiores no Cosmos, nós vemos as estruturas não apenas como elas estavam àquela distância, mas também como elas eram no passado: fazemos uma espécie de viagem no tempo, devido à velocidade finita da luz. O Universo mais distante é muito menos aglomerado e mais uniforme, uma vez que, no passado, ele ainda não havia tido tempo suficiente para formar estruturas maiores e mais complexas devido aos efeitos da gravidade. O Universo distante também era mais quente. Sua expansão faz com que toda a luz que viaja por ele seja estendida em comprimentos de onda. Conforme isso ocorre, os fótons perdem energia e tornam-se mais frios.

De forma simplificada, a forma como chegamos ao tamanho do Universo hoje é através do entendimento de três coisas: a rapidez com que o Universo se expande hoje, quão quente (ou frio) ele está atualmente e qual é sua composição. Com essas informações é possível extrapolar de volta aos primeiros instantes do Big Bang e chegar a uma estimativa confiável para a sua idade e o seu tamanho.

Sobre a parte do Universo que está além dos limites de nossas observações, só podemos fazer inferências com base nas leis da física. As análises das observações de grandes levantamentos astronômicos realizados nas últimas décadas apontam que o universo não-observável deve ter pelo menos 250 vezes o raio da parte observável. Isso significa que o Universo poderia ter ao menos 23 trilhões de anos-luz de diâmetro, o que corresponderia a um volume de espaço mais de 15 milhões de vezes maior do que o conseguimos observar hoje. Isso tudo assumindo que o nosso é o único universo que existe.

TRADINCOM CONSULTORIA EM NEGÓCIOS AGROPECUÁRIOS LTDA.®

+55 (41) 3434-5757

Al Dr Carlos de Carvalho, Wall Street Center, 771, Curitiba PR – Brasil, CEP 80.430-180.

www.tradincom.com

Esse é apenas um resumo de várias informações que recebemos, oferecemos oportunidades estratégicas particulares a cada necessidade de empresas ou operadores de mercado. Fiquem à vontade para requisitar opiniões estratégicas em posições ou mesmo sobre o processo de abertura de contas em Chicago.

Negociar futuros e opções envolve riscos substanciais e não é adequado para todos os investidores. O desempenho passado não é indicativo de resultados futuros. A Tradincom não distribui relatórios de pesquisa, empregam analistas, ou mantêm um departamento de pesquisa, tal como definido no Regulamento da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) 1.71, e portanto, este material não deve ser interpretado como uma solicitação para entrar em uma transação de derivativos.

Esse material é somente como base de informações e deve ser considerado como um comentário de mercado, meramente uma observação do cenário econômico, politico e de notícias atuais e históricas. Não há nenhuma intenção de solicitação de compra ou venda de ativos de commodities, mas somente uma visão geral de possíveis estratégias de mercado. Não sendo responsável por qualquer resultado de decisões de trading, mas sendo apenas mais uma fonte de informações para aqueles que acreditam na fonte de informações.

Compartilhe nas redes sociais

Os comentários estão fechados.