Bom dia, a Bolsa de Chicago opera com leve baixa nos principais ativos.

Fundos vendedores ontem estimados em: 9.000 contratos de soja; 6.000 contratos de milho; 6.000 contratos de trigo; 3.500 contratos de farelo de soja; 3.000 contratos de óleo de soja.

A soja perde o leve suporte após o falso rompimento de topo. Agora a soja tem fundo e suporte nos US$910 no contrato jul/17 e nos US$915 no contrato nov/17 antes de renovar mínimas de abril de 2016.

A produção semanal de etanol de milho nos EUA foi de 990 mil barris diários na semana encerrada no dia 16, contra 1.002 mil barris da semana anterior e 962 mil do mesmo período do ano passado. Os estoques caíram de 21,542 milhões para 22,28 milhões de barris, contra 21,11 milhões do ano passado.

O USDA divulgou na manhã de hoje o relatório de vendas semanais para exportação dos EUA. As vendas de soja 2016/17 foram de 111,18 mil toneladas, contra 340 mil da semana anterior e abaixo das expectativas do mercado, que esperavam pelo menos 200 mil. Na temporada, as vendas de soja totalizam 59,05 milhões de toneladas, contra 49,93 milhões do mesmo período do ano passado. As exportações acumuladas já alcançam 52,26 milhões de toneladas, contra 43,54 milhões do mesmo período de 2016. As vendas 2017/18 foram de apenas 3,766 mil toneladas, ante expectativa de pelo menos 150 mil. Na temporada 2017/18 as vendas somam 3,44 milhões de toneladas, contra 6,21 milhões de 2016.

As vendas semanais para exportação de milho 2016/17 foram de 528,8 mil toneladas, contra 600,74 mil da semana anterior, ficando pouco abaixo das expectativas do mercado. Na temporada, as vendas de milho somam 55,15 milhões de toneladas, contra 46,41 milhões do mesmo período de 2016. As vendas 2017/18 foram de 124 mil toneladas, acumulando 2,88 milhões na temporada, contra 4,5 milhões de 2016.

O dólar opera com leve baixa frente a outras moedas. Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA subiram 3 mil na semana passada, para 241 mil pedidos, segundo o Departamento de Trabalho. A média móvel das últimas 4 semanas subiu 1,5 mil, para 244.750 pedidos.

No Brasil, a moeda abriu com leve baixa e agoira vale R$3,3,3405, +0,27% (10h45). O Banco Central segue com a rolagem dos contratos com vencimento em julho, com a oferta de até 8.200 contratos no dia de hoje. O BC divulgou na manhã de hoje o Relatório Trimestral de Inflação (RTI), reduzindo a previsão para a inflação deste ano de 3,9% para 3,8%, para 2018, aumentou de 4,3% para 4,5%, e para 2019, projeção caiu para 4,3%, considerando o cenário com taxas de juros e câmbio da pesquisa Focus. A expectativa para o crescimento da economia neste ano está em 0,5%.

As bolsas mundiais operam majoritariamente em baixa hoje. No Brasil, o Ibovespa opera com leve alta.

Os futuros do petróleo operam com leve alta, devolvendo parte das perdas de ontem. Ontem as cotações do WTI chegaram a cair nos menores níveis desde agosto de 2016. Os estoques de petróleo dos EUA tiveram queda de 2,451 milhões de barris na última semana, para 509,095 milhões de barris, segundo o Departamento de Energia (DoE). Analistas estimavam queda menor, de 2,1 milhões de barris. Os estoques de gasolina tiveram recuo de 578 mil barris, para 241,866 milhões de barris e os estoques de petróleo em Cushing caíram 1,08 milhão de barris, para 61,14 milhões de barris. A taxa de utilização da capacidade das refinarias dos EUA passou de 93,9% para 94,0% na última semana.


CLIMA

 

No Brasil, tempo predominantemente seco hoje.

Previsão de Precipitação Brasil, 24 horas, em milímetros.

Na Argentina, tempo estável hoje.

Previsão de Precipitação Argentina, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, chuvas de maior volume entre o Wisconsin e Michigan. Alerta de temporais ente o Texas e Arkansas.

Previsão de precipitação EUA, 24 horas, em polegadas.

Precipitação Observada EUA, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada EUA, 7 dias, em milímetros.


PRÊMIOS

 


MATÉRIA DO DIA

 

Ethereum: concorrente do Bitcoin cresceu 5 mil % em valor em 2017
Por Felipe Gugelmin, Tecmundo

Quando se fala em criptomoedas, é normal que a principal referência sejam as Bitcoins, principal nome desse mercado. No entanto, há diversos concorrentes de peso nesse segmento, sendo o principal deles o Ethereum, cujo valor de revenda cresceu em mais de 5.000 % desde o início de 2017.

Em janeiro deste ano, uma única unidade da moeda valia aproximadamente US$ 7,98, valor que ultrapassou US$ 407,10 no dia 12 deste mês. Segundo Pavel Matveev, cofundador do Wirex, aplicativo que serve como carteira e cartão de débito para criptomoedas, esse aumento é explicado pelo sucesso do Bitcoin.

“O grande interesse na bitcoin realmente aumenta o apetite de investidores por criptomoedas alternativas nas quais também se vê um ganho superior”, afirmou Matveev à CNBC. “Há alguma correlação entre as criptomoedas nesse sentido, mas também há uma demanda única para o Ethereum por seus próprios méritos. Eles não estão competindo, e na verdade servem a diferentes necessidades”.

O que é o Ethereum?

Ethereum é o nome da blockchain que controla as operações relacionadas à moeda virtual, que também é conhecida pelo mesmo nome. A tecnologia foi criada para controlar “aplicações de contratos inteligentes”, que executam ações pré-determinadas assim que uma condição é comprida.

A moeda foi inventada por Vitalki Buterin, um engenheiro de computação canadense que nasceu na Rússia e iniciou o projeto em 2013, após ter certa experiência com o Bitcoin. A criptomoeda se tornou uma realidade graças a um projeto de financiamento coletivo, levantando US$ 18 milhões durante o processo.

O Ethereum ainda está em seus dias iniciais de funcionamento, sendo que o desenvolvimento é comandado por Buterin, que tem a sua disposição um time de programadores dedicados. O futuro da criptomoeda é discutido através de uma comunidade bastante ativa, embora o criador ainda exerça certo controle sobre ela — algo que ele pretende mudar em um futuro próximo.

A vantagem do Ethereum em relação ao Bitcoin é o fato de que ele não funciona somente como um método de pagamento, possibilitando a programação de qualquer tipo de tarefa imaginável. Atualmente, a rede está servindo como base para projetos de distribuição de energia, publicidade digital e lojas digitais que oferecem o poder de computação não utilizado por máquinas, entre outros tipos de oferta.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário