Bom dia, a Bolsa de Chicago opera em alta nos principais ativos.

Fundos vendedores ontem estimados em 14.000 contratos de milho e 9.000 contratos. Fundos compradores estimados em 2.000 contratos de trigo.

O Ministério da Agricultura reduziu em 3,6% os preços mínimos do trigo para a safra 2017/18, segundo portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU). No caso do trigo tipo 1 “Básico” na região Sul, o preço mínimo passou de R$21,24 para R$20,48. No caso do trigo tipo 1 “Doméstico” na região Sul, o preço mínimo passou de R$26,52 para R$25,57.

Nos casos do trigo tipo 1 “Pão” e “Melhorador” na região Sul, os preços mínimos passaram de R$38,65 para R$37,26 e de R$40,48 para R$39,02, respectivamente.

A colheita de soja no Paraná está praticamente finalizada, com 97,44% da área colhida, em linha com os anos anteriores. A colheita do milho 1ª safra também está na reta final, com 94,3% colhido.

O plantio de trigo iniciou no Paraná e está com aproximadamente 2% da área semeada dos 1,05 milhão de hectares projetados para esta safra, área 4% menor em relação à safra anterior. A produção total deve chegar a 3,3 milhões de toneladas, contra 3,45 milhões de 2016.

O dólar opera em alta frente a outras moedas, recuperando parte das perdas de ontem após a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciar eleições legislativas antecipadas para 8 de junho, três anos antes do que estava previsto, como uma tentativa para agilizar as negociações sobre o Brexit.

No Brasil, a moeda abriu com leve alta e agora vale R$3,1207, +0,27% (10h05). O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), apresenta hoje a proposta final para a reforma. Entre os pontos principais alterados temos: Idade mínima de aposentadoria passa de 65 para 62 anos; Para benefício integral os anos de contribuição passa de 49 para 40 anos; Na regra de transição, a idade mínima passa de 45 para 53 anos para mulheres e de 50 para 55 anos para homens; Aposentadoria rural passa de 65 para 60 anos; A idade mínima da aposentadoria para professores e policiais passa de 65 para 60 anos. Segundo o relator, com as mudanças propostas, a economia com a reforma será de R$630 bilhões em 10 anos, 20% abaixo da proposta original. Ontem a moeda fechou com 0,29% de alta, a R$3,1134.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente, enquanto a Nikkei fechou em alta pelo terceiro pregão com leve alta com o fortalecimento do iene frente ao dólar. As bolsas europeias e índices futuros dos EUA e Brasil operam majoritariamente em alta.

Os futuros do petróleo operam com leve alta após 2 quedas seguidas. Ontem o Instituto Americano de Petróleo (API) estimou que os estoques de petróleo nos EUA recuaram 800 mil barris na semana passada, enquanto os analistas previam estabilidade. Os estoques de gasolina avançaram 1,4 milhão de barris na semana e os estoques de destilados tiveram recuo de 1,8 milhão de barris. Os estoques de petróleo no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma) tiveram queda de 700 mil barris. Hoje o Departamento de Energia dos EUA divulga dados oficiais.


CLIMA

 

No Brasil, instabilidades sobre o Paraguai provocam chuvas na parte oeste da região Sul e MS no dia de hoje. Chove também na região amazônica.

Previsão de Precipitação Brasil, 24 horas, em milímetros.

Na Argentina, tempo predominantemente seco nas regiões produtoras de soja e milho hoje. Chuvas no extremo norte, divisa com o Paraguai.

Previsão de Precipitação Argentina, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Acumulada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, chuvas em boa parte do Meio-oeste hoje.

Previsão de precipitação EUA, 24 horas, em polegadas.

Precipitação Acumulada EUA, 24 horas, em milímetros.


PRÊMIOS

 

Paranaguá

Golfo do México – EUA


MATÉRIA DO DIA

 

Pesquisadora desenvolve método barato e livre de químicos para evitar bolor em alimentos
Por Any Karolyne Galdino, Engenharia É


Imagem: divulgação

Imagine nunca mais ter que se preocupar com mofo na sua comida novamente. Sem aquelas surpresas desagradáveis na geladeira que acabam desperdiçando seu dinheiro. Sim, isso está mais perto de acontecer do que você imagina, graças a pesquisa de Kirsty Bayliss.

Bayliss é da Universidade de Murdoch, na Austrália, e desenvolveu uma técnica para o tratamento de alimentos frescos com plasma e correntes elétricas para inibir o crescimento do mofo. É um processo livre de químicos e que cobre a superfície dos alimentos, matando esporos de bolores infecciosos.

A pesquisa até agora tem se concentrado em abacates e, caso dê certo, irá se estender a outros alimentos, incluindo legumes, pão, leite, carnes e queijo, segundo o site TreeHugger.

A tecnologia, chamada de “Breaking the Mold” (“Quebrando o Mofo”, em tradução livre), tem o potencial reduzir o desperdício global do alimento, já que o mofo é fator principal das enormes quantidades de comida jogada fora em todo o mundo – aproximadamente 30% de todo o alimento desenvolvido para o consumo humano.

“O desperdício de alimentos contribui para a insegurança alimentar – um país desenvolvido como os EUA ou a Europa desperdiça cerca de 100 quilos de alimentos por pessoa a cada ano. Se pudéssemos reduzir o desperdício de alimentos em um quarto, poderíamos alimentar 870 milhões de pessoas”, disse Bayliss em entrevista à rede ABC.

Matar esporos de mofo também poderia tornar os alimentos mais saudáveis para o consumo humano, já que alguns produzem compostos tóxicos que são prejudiciais à saúde. A tecnologia do plasma mata as bactérias transmitidas pelos alimentos, como a salmonela e a listeria.

“A tecnologia é baseada na forma mais abundante de matéria no universo: plasma – é ele que mata os mofos que crescem em frutas e legumes, tornando os produtos frescos mais saudáveis ​​para consumo e aumentando a vida útil”, disse Bayliss.

Kirsty Bayliss está entre os 12 inovadores escolhidos em 2017 pelo projeto Launch Food Inovator, plataforma ligada a diversas agências oficiais dos EUA. Ela viajará a São Francisco para participar de um fórum para melhorar os resultados de saúde global e para se reunir com investidores, filantropos e empresas interessadas em usar sua tecnologia.

Após 18 meses de testes preliminares, a tecnologia “Breaking the Mold” está agora a ponto de se expandir para desafios maiores e trabalhar com instalações de produção comercial. Embora existam muitas versões caseiras dessa tecnologia, Bayliss e sua equipe dizem que “conseguiram criar uma que funciona melhor”.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário