Bom dia, a Bolsa de Chicago opera em baixa nos principais ativos, realizando lucros das altas recentes.

Fundos compradores ontem estimados em: 12.000 contratos de soja; 12.000 contratos de milho; 6.000 contratos de trigo; 6.000 contratos de farelo de soja.

O USDA divulgou na tarde de ontem o relatório de esmagamento de soja dos EUA em maio. O esmagamento ficou em 157,3 milhões de bushels, contra 148,8 milhões de abril, 161 milhões de maio de 2016 e expectativas de 158,5 milhões.

As condições das lavouras de soja dos EUA tiveram piora de 2 pontos percentuais na última semana, para 64% bom/excelente. A emergência atingiu 98%, contra 95% da média dos últimos 5 anos. O florescimento atingiu 18%, contra 17% da média.

As condições das lavouras de trigo de primavera perderam 3 p.p. de bom/excelente, para apenas 37% b/e, contra 72% do ano anterior. A colheita do trigo de inverno atingiu 53%, contra 56% de 2016 e 54% da média. As condições das lavouras se encontram com 48% b/e, contra 62% do ano anterior.

As condições das lavouras de milho nos EUA melhoraram 1 ponto percentual na última semana, para 68% bom/excelente. As pioras nas condições das lavouras nas Dakotas foram compensadas pela melhora nos outros estados. O pendoamento atingiu 10%, contra 14% de 2016 e 13% da média dos últimos anos.

Navios com até 700 mil toneladas de soja aguardam para descarregar na China por falta de armazenamento, segundo operadores locais. Em Rizhao, um dos principais portos importadores de soja na China, 6 a 7 navios aguardam para descarregar. As reservas de todos os portos chineses chegam a 7 milhões de toneladas, segundo o Centro Nacional de Informações sobre Grãos e Óleos da China (CNGOIC).

O dólar opera em baixa frente a outras moedas. O Federal Reserve divulgou ontem a ata da última reunião do FOMC realizado nos dias 13 e 14 de junho. Os integrantes do Fed se mostraram divididos sobre quando dar início na redução do balanço de pagamentos de US$4,5 trilhões, com incertezas sobre a taxa de desemprego e inflação.

O setor privado dos EUA criou 158 mil postos de trabalho em junho, ante expectativa de 188 mil e de 230 mil de maio (dado revisado de 253 mil), segundo o relatório de empregos ADP, considerado uma prévia do Payroll, que será divulgado amanhã, às 09h30 (horário de Brasília).

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA subiram 4 mil na semana encerrada no dia 1º, para 248 mil pedidos, segundo o Departamento de Trabalho, ante expectativa de 243 mil pedidos. A média móvel de 4 semanas subiu 750 pedidos, para 243 mil pedidos.

No Brasil, a moeda abriu com leve alta e agora vale R$3,3033, +0,32% (10h35). O Banco Central segue sem anunciar intervenções no mercado cambial. Os advogados de Temer entregaram ontem a defesa à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), que agora será analisada pelo relator Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), devendo apresentar seu voto e parecer na próxima segunda-feira (10). Ontem a moeda caiu 0,56%, a R$3,2926.

As bolsas mundiais operam majoritariamente em baixa hoje.

Os futuros do petróleo opera em alta após queda de mais de 3% no dia de ontem, com a forte realização de lucros. O Instituto Americano de Petróleo (API) estimou que os estoques de petróleo bruto dos EUA caíram 5,8 milhões de barris na semana passada, ante expectativa de queda de 1,6 milhão. Os estoques de gasolina tiveram queda de 5,7 milhões de barris e os de destilados subiram 0,4 milhão de barris. Os estoques de petróleo no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma) tiveram recuo de 1,4 milhão barris. Hoje saem dados do Departamento de Energia dos EUA.


CLIMA

 

No Brasil, tempo predominantemente seco e frio hoje.

Previsão de Precipitação Brasil, 24 horas, em milímetros.

Na Argentina, chuvas isoladas na província de Buenos Aires hoje.

Previsão de Precipitação Argentina, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, chuvas no leste do Meio-oeste hoje.

Previsão de precipitação EUA, 24 horas, em polegadas.

Precipitação Observada EUA, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada EUA, 7 dias, em milímetros.

Mapa de monitoramento da seca nos EUA mostra de leve melhora à piora nas condições de umidade no noroeste do Meio-oeste na última semana.


PRÊMIOS

 


MATÉRIA DO DIA

 

Drones ajudam a combater o desmatamento plantando 100 mil árvores por dia
Por Ademilson Ramos, Engenharia É

A luta para combater o desmatamento tem um aliado improvável. Plantação de árvores por drones. A cientista australiana, Susan Graham, desenvolveu drones que têm a capacidade de plantar árvores em áreas que de outra forma não seria possível. Os drones serão essenciais no esforço para reduzir o desmatamento da Terra.

Os drones desenvolvidos pela Susan Graham trabalham em conjunto. O primeiro escaneia uma área de terra buscando condições adequadas para o plantio. O drone então mapeia a área e emprega algoritmos específicos para localizar áreas ótimas de plantio. Essas áreas são identificadas como lugares com alto teor de solo, com baixos obstáculos, como rios ou áreas rochosas.

O segundo drone é então enviado por percurso de voo especificado pelo pelo drone de mapeamento com sua carga útil de sementes. O drone pode transportar até 150 vagens de sementes em um único voo. As vagens são projetadas para cair do drone e a caixa em torno da mesma se quebra, dando assim um começo altamente nutritivo. Em cada ”viagem” do drone, são projetados para transportar múltiplas espécies de árvores e quebrarão de acordo com o período de germinação das espécies individuais.

Os drones estão sendo trazidos ao mercado pela empresa baseada em Oxford, a BioCarbon Engineering. Lauren Fletcher, o CEO da empresa disse: “Vamos plantar cerca de 100.000 árvores por dia – 60 equipes como esta nos levarão a um bilhão de árvores por ano”.

Os drones serão usados ​​em áreas que impossibilitam o plantio manual ou máquinas terrestres. Os drones poderão ser utilizados para reabilitação, bem como aplicações de plantio florestal.

Estes não são os únicos drones que fazem esse tipo de serviço. A empresa baseada nos EUA, DroneSeed,está trabalhando para desenvolver uma tecnologia similar para permitir a semeadura em massa de florestas. Atualmente, a empresa fornece pulverização de herbicidas e pesticidas em áreas de difícil acesso.

Desmatamento

O desmatamento é causado por uma série de razões. À medida que a população mundial aumenta, a demanda por produtos comuns, como papel e madeira também aumentam. As florestas que anteriormente eram consideradas inadequadas para a silvicultura estão sendo exploradas por qualquer valor que tenham e, em seguida, muitas vezes plantadas com palmeiras cultivadas para o óleo de palma altamente procurada.

As florestas também estão sendo exploradas para acompanhar a crescente demanda mundial de soja para uso em produtos como o leite e como um aditivo em uma variedade de alimentos processados.

Outras causas comuns são a mineração e a urbanização. Uma vez que as florestas foram exploradas, os grandes custos e as dificuldades na replantação de grandes áreas significativas não são controladas, resultando em erosão do solo e no aumento das ervas daninhas nocivas. O desmatamento também tem um impacto devastador sobre a vida selvagem e outros ecossistemas apoiados pelas florestas, como sistemas de rios e lago. O desmatamento ilegal é um grande problema em países como o Brasil e a Índia, em que a grande área geográfica dificulta a fiscalização.

A tecnologia do drone poderá ajudar os governos em uma replantação rápida que de outra forma poderia levar anos com um custo muito maior.

Para mais detalhes, veja o vídeo abaixo:

Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário