Bom dia, a Bolsa de Chicago opera em alta nos principais ativos com suporte no clima dos EUA e fatores técnicos.

A soja julho/17 sobe 8 pontos nesta segunda-feira, após subir 4 pontos na sexta-feira, e deve corrigir até os US$9,85, podendo chegar nos US$10,10 com uma correção mais forte.

Fundos vendedores na sexta-feira estimados em: 8.000 contratos de milho e 4.000 contratos de trigo. Fundos compradores estimados em: 7.000 contratos de soja; 3.000 contratos de farelo e 3.000 contratos de óleo de soja.

Os fundos aumentaram as posições vendidas na soja, milho e trigo, reduziram as posições compradas no farelo de soja e reduziram as posições vendidas no óleo de soja na semana encerrada no dia 18: soja -16.094 contratos; milho -13.391 contratos; trigo -7.667 contratos; farelo de soja -4.898 contratos; óleo de soja +3.410 contratos.

O USDA reportou na sexta-feira a venda de 146.000 toneladas de soja 2016/17 para destinos desconhecidos.

O USDA divulga hoje o relatório de andamento de safra dos EUA. Expectativa para o plantio de milho em 12%, contra 18% da média. O departamento divulga também o primeiro relatório de plantio de soja. No mesmo período do ano passado o plantio estava em 3%.

O Governo do Canadá divulgou na sexta-feira as estimativas de área para esta temporada.

A Abiove elevou a estimativa de produção de soja do Brasil para 110 milhões de toneladas, ante previsão de 107,3 milhões da estimativa de março. A estimativa para as exportações passou de 59,8 milhões para 60,3 milhões de toneladas.

O dólar opera em baixa frente a outras moedas após eleições na França. Mais cedo, o euro chegou a operar nos maiores níveis em mais de 5 meses. No primeiro turno das eleições presidenciais da França, Emmanuel Macron e Marine Le Pen, receberam aproximadamente 24% e 21,5% dos votos, respectivamente, deixando os partidos mais tradicionais do país de fora da disputa. Para o segundo turno, que acontece no dia 7 de maio, a pesquisa de opinião da Opinionway mostra que o candidato centrista Emmanuel Macron derrotaria a candidata de extrema-direita Marine Le Pen por 61% a 38% dos votos. O presidente dos EUA, Donald Trump, deve anunciar nesta quarta o grande plano de reforma tributária do país.

No Brasil, a moeda abriu com baixa de quase 1% e agora vale R$3,1311, -0,77% (10h45). O Banco Central segue com a rolagem dos contratos de swap cambial tradicional com vencimento em maio, com a oferta de até 16 mil contratos no dia de hoje. Nesta semana os investidores seguem atentos à tramitação da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados. Na quinta-feira, a moeda subiu 0,32%, a R$3,1574, subindo 1,58% na semana. Em abril, a moeda sobe 1,42%, e em 2017, a moeda recua 2,84%.

O Banco Central divulgou na manhã de hoje o novo boletim de mercado Focus. O mercado reduziu as estimativas para a inflação de 2017 e 2018. Para 2017, a estimativa para a inflação passou de 4,06% para 4,04%, a estimativa para o crescimento da economia passou de 0,40% para 0,43%. A meta da taxa Selic deve terminar este ano em 8,5% e o dólar em R$3,23. Para 2018, a estimativa para a inflação passou de 4,39% para 4,32%. A estimativa para o PIB permaneceu em 2,5%. A meta da taxa Selic deve se manter em 8,5% durante 2018 e o dólar deve terminar 2018 em R$3,38.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta hoje após as eleições na França. O restante das bolsas mundiais operam em alta. No Brasil o Ibovespa futuro abriu com 1% de alta e agora opera nos 65.230, +0,93% (10h40). Na quinta-feira, o Ibovespa subiu 0,56%, aos 63.760 pontos, caindo 0,15% na semana. No mês o índice acumula queda de 4,15%, e no ano, alta de 5,87%.

Os futuros do petróleo seguem em queda neste início de semana, corrigindo a forte alta na semana retrasada com a expectativa no aumento do corte de produção dos países da OPEP e não membros no segundo semestre deste ano.


CLIMA

 

No Brasil, uma frente fria avança provocando chuvas no Sul e deixando as temperaturas baixas, com risco de geadas nas serras gaúcha e catarinense durante a semana.

Previsão de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Na Argentina, chove entre as províncias de Buenos Aires, Córdoba e Santa Fé nesta semana, atrasando a colheita da soja e milho no país. A colheita de soja atingiu 16,3% na quinta-feira, segundo a Bolsa de Cereles. A estimativa de produção se mantém em 56,5 milhões de toneladas. No milho, a colheita atingiu 22,6%, com estimativa de produção em 37 milhões de toneladas.

Previsão de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Desvio de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Precipitação Acumulada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, chuvas de grande volume nesta semana em boa parte das regiões produtoras de soja e milho, com alerta de temporais.

Previsão de precipitação EUA, 5 dias, em polegadas.

As temperaturas ficam abaixo da média em boa parte do Meio-oeste.

Precipitação Acumulada EUA, 24 horas, em milímetros.

O NOAA atualizou na quinta-feira as previsões climáticas de longo prazo dos EUA. Para maio, junho e julho, as chuvas devem ficar dentro da normalidade e as chuvas devem ficar acima da média em grande parte das regiões produtoras de soja e milho.


PRÊMIOS

 

Paranaguá

Golfo do México – EUA


MATÉRIA DO DIA

 

Brasil começa a produzir papel feito de palha de cana-de-açúcar
Por Any Karolyne Galdino, Engenharia É


Imagem: divulgação

Foi instalada, no interior do estado de São Paulo, a FibraResist, primeira fábrica do mundo capaz de produzir matéria-prima para o papel a partir da palha de cana-de-açúcar. Esse processo inovador permite fabricar um papel biodegradável, de excelente qualidade e com valor de mercado competitivo com os papéis que utilizam pinus e eucalipto.

Nesse novo processo a palha é triturada e limpa, sendo em seguida acrescentado um produto químico capaz de separar a fibra da celulose. Após isso a fibra é reidratada, sendo transformada em uma pasta. É a partir dela que as indústrias produtoras de papel conseguirão fabricar cartolina, papel jornal e papel tissue (utilizado em papel higiênico e guardanapos). Porém, com o rápido avanço da tecnologia, em breve será possível ampliar a gama de opções de papéis que poderão ser fabricados a partir da palha de cana-de-açúcar. O processo de produção da pasta não agride o meio ambiente em nenhum momento, já que não há a emissão de poluentes.

Além disso, para produzir uma tonelada de papel é necessário aproximadamente 3,7 toneladas de bagaço de cana. Atualmente a indústria de celulose chega a utilizar até 14 toneladas de eucalipto para produzir a mesma tonelada.

Mesmo com o avanço da tecnologia digital o papel ainda é muito consumido no Brasil, principalmente no meio corporativo, como explica Anderson Martins da ImpressorAjato.com , loja virtual especializada em artigos para impressão para pequenas e médias empresas.

“As empresas estão sempre buscando encontrar novas soluções para reduzir o consumo de papel, seja reutilizando folhas ou investindo em novas impressoras que contam com diversas funções feitas para reduzir o desperdício. Logo, tecnologias sustentáveis para produção de papéis tendem a conseguir uma rápida aceitação por parte desses consumidores”.

Operando com apenas 25% da capacidade, a fábrica pretende aumentar gradualmente sua produção, trabalhando em parceria com cooperativas da região, gerando novos empregos. Mas, com certeza, o grande beneficiado será o meio ambiente.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário