Bom dia, a Bolsa de Chicago opera mista nesta sexta-feira. Na próxima semana, 10º levantamento da safra de grãos da Conab e relatório de oferta e demanda do USDA, na terça e quarta-feira, respectivamente.

A soja nov/17 sobe por inércia e já opera acima dos US$10,00 o bushel, com possível correção no dia de hoje ou segunda-feira com a configuração de uma deriva em região de resistência.

Fundos compradores ontem estimados em: 6.000 contratos de soja e 3.500 contratos de farelo de soja. Fundos vendedores estimados em: 12.000 contratos de trigo; 6.000 contratos de milho; 2.500 contratos de óleo de soja.

O USDA divulgou hoje o relatório de vendas semanais de grãos dos EUA. As vendas de soja 2016/17 foram de 365,5 mil toneladas, contra 312,4 mil da semana anterior e 637,3 mil do mesmo período do ano passado. Na temporada, as vendas de soja acumulam 59,73 milhões de toneladas, contra 51,3 milhões do mesmo período do ano passado. Exportação acumulada está em 52,88 milhões de toneladas, contra 55,8 milhões da estimativa do USDA. As vendas de soja 2017/18 foram de 73,22 mil toneladas, acumulando 3,5 milhões de toneladas na temporada.

As vendas de milho 2016/17 dos EUA foram de apenas 140,3 mil toneladas, abaixo das expectativas do mercado, contra 316,2 mil da semana anterior e 369,7 mil do mesmo período de 2016. Na temporada as vendas de milho somam 55,6 milhões de toneladas, contra 47,25 milhões de 2016. As vendas 2017/18 foram de 74,5 mil toneladas, acumulando 3,02 milhões na temporada, contra 5,5 milhões de 2016.

A produção semanal de etanol de milho nos EUA foi de 1.014 mil barris diários até dia 30, contra 1.015 mil da semana anterior e 984 mil do mesmo período do ano passado. Os estoques caíram para 21,571 milhões de barris, de 21,838 milhões da semana anterior e 21,557 milhões do mesmo período de 2016.

O plantio de trigo na Argentina atingiu 72,7% dos 5,5 milhões de hectares projetados para esta safra, segundo a Bolsa de Cereales.

A colheita de soja na Argentina praticamente finalizada, com 98,9% colhido. A estimativa de produção se mantém em 57,5 milhões de toneladas, ante estimativa do USDA de 57 milhões de toneladas.

A colheita de milho na Argentina teve avanço de 2 pontos percentuais na última semana, para 53% colhido. A estimativa de produção se mantém em 39 milhões de toneladas, contra 40 milhões do USDA.

O plantio de trigo atingiu 80% no Rio Grande do Sul, contra média de 89%, segundo a Emater/RS. Após as chuvas de maio e junho, agora a seca preocupa os agricultores do estado, que estão há mais de uma semana sem chuvas.

O dólar opera em alta frente a outras moedas após grande volatilidade com relatório de empregos nos EUA. O setor privado dos EUA criou 222 mil postos de trabalho em junho, segundo o relatório de empregos Payroll, ante expectativa de criação de 187 mil. A taxa de desemprego subiu de 4,3% para 4,4%.

No Brasil, a moeda abriu com leve baixa e agora vale R$3,2885, -0,32% (10h20). O Banco Central segue sem anunciar intervenções no mercado de câmbio. O Conselho de Ética do Senado decidiu ontem, por 14 votos a 4, arquivar o pedido de cassação do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Eduardo Cunha deve fechar acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato na próxima semana, atingindo Michel Temer (PMDB), os ministros Moreira Franco (Secretaria Geral), Eliseu Padilha (Casa Civil) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Em março Sérgio Moro condenou Cunha a 15 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem e evasão de divisas. Ontem a moeda fechou com alta de 0,18%, a R$3,2985. Na máxima do dia a moeda chegou a bater nos R$3,32.

A inflação oficial do Brasil medido pelo IPCA caiu 0,23% em junho ante maio, a primeira deflação mensal desde junho de 2006. No ano, o IPCA acumula alta de 1,18%, e em 12 meses, alta de 3,00%, a menor taxa desde março de 2007, quando estava em 2,96%.

As bolsas mundiais operam majoritariamente em baixa hoje. No Brasil, o Ibovespa futuros abriu com leve alta e agora opera nos 63.505 +0,89% (10h15).

Os futuros do petróleo operam em baixa após correção dos últimos dias. Os estoques de petróleo bruto dos EUA tiveram queda de 6,299 milhões de barris na última semana, para 205,914 milhões de barris, segundo o Departamento de Energia (DoE), ante expectativa de queda de 2,5 milhões de barris. Os estoques de gasolina tiveram recuo de 3,669 milhões de barris e os estoques de destilados caíram 1,85 milhão de barris. Os estoques de petróleo em Cushing caíram 1,334 milhão barris, para 59,509 milhões de barris.

O índice dos gerentes de compras (PMI) composto dos EUA, que leva em consideração os números da indústria e dos serviços, subiu a 53,9 em junho, de 53,6 em maio, segundo o IHS/Markit.


CLIMA

 

No Brasil, tempo predominantemente seco nos próximos dias.

Previsão de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Desvio de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Na Argentina, chuvas na divisa com o Uruguai nos próximos dias.

Previsão de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Desvio de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Precipitação Observada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, chuvas isoladas no Meio-oeste durante o fim de semana. Tempo segue seco e quente no noroeste do Meio-oeste.

Previsão de precipitação EUA, 72 horas, em polegadas.

Probabilidade de temperaturas EUA, 6-10 dias.

Precipitação Observada EUA, 24 horas, em milímetros.

Precipitação Observada EUA, 7 dias, em milímetros.


PRÊMIOS

 


MATÉRIA DO DIA

 

Cientistas criam celular que não precisa de bateria para funcionar
Por Any Karolyne Galdino, Engenharia É


Imagem: Mark Stone/University of Washington

Pesquisadores da Universidade de Washington criaram um celular que não requer baterias. Já imaginou, nunca ter que recarregar seu smartphone novamente? Seria incrível, concordam?

Os pesquisadores fizeram um celular que colhe os poucos microwatts de energia necessários a partir de rádio e luz ambiente. A equipe já conseguiu fazer chamadas do Skype usando o telefone sem bateria.

A nova tecnologia é detalhada em um artigo publicado no dia 1 de julho pelo imwu.

“Nós construímos o que acreditamos ser o primeiro celular funcionando que consome energia quase zero”, disse o co-autor Shyam Gollakota, professor associado da Escola de Ciências da Computação e Engenharia de Paul G. Allen na UW. “Para alcançar o consumo baixo de energia, é preciso coletar energia do meio ambiente, devemos repensar fundamentalmente como esses dispositivos foram projetados”.

A equipe de cientistas da computação e engenheiros elétricos da UW eliminaram um passo muito importante na maioria das transmissões de celulares – converter sinais analógicos que transmitem o som para dados digitais que um telefone pode entender. Esse processo consome tanta energia que é impossível projetar um telefone que possa depender de fontes de energia ambiente.

Em vez disso, o celular sem bateria tira proveito de vibrações minúsculas no microfone ou alto-falante de um telefone que ocorrem quando uma pessoa está falando em um telefone ou ouvindo uma chamada.

Uma antena conectada a esses componentes converte esse movimento em mudanças no sinal de rádio analógico padrão emitido por uma estação base celular. Este processo codifica os padrões de fala em sinais de rádio refletidos de uma forma que usa quase nenhuma energia.

Para transmitir a fala, o telefone usa vibrações do microfone do dispositivo para codificar padrões de fala nos sinais refletidos. Para receber a fala, converte sinais de rádio codificados em vibrações sonoras que são captadas pelo alto-falante do telefone. No dispositivo protótipo, o usuário pressiona um botão para alternar entre esses dois modos de “transmissão” e “escuta”.

Agora a equipe de pesquisa planeja se concentrar em melhorar o alcance operacional do telefone sem bateria e criptografar conversas para torná-los seguros. A equipe também está trabalhando para transmitir vídeos em um celular sem bateria e adicionar um recurso de exibição visual ao telefone usando telas de baixa energia E-ink.

A pesquisa foi financiada pela National Science Foundation e pela Google Faculty Research Awards.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário