Bom dia, a Bolsa de Chicago opera em baixa nos principais ativos.

A soja nov/17 corrige a última pernada de alta, segurando em importante região de resistência, nos US$9,78. O rompimento da máxima pode levar as cotações no patamar dos US$10,00. Temos o US$9,50 como importante suporte. A forte demanda, tempo seco nos EUA e no Brasil devem dar suporte às cotações.

Fundos compradores ontem estimados em: 10.000 contratos de soja; 5.500 contratos de milho; 5.000 contratos de farelo de soja. Fundos vendedores estimados em 1.500 contratos de óleo de soja e 1.000 contratos de trigo.

O USDA reportou ontem a venda de 198.000 toneladas de soja 2017/18 para a China.

O USDA divulgou ontem o primeiro relatório de vendas e exportação da nova temporada (2017/18), que começou para a soja e milho no dia 1º de setembro. As vendas semanais de soja 2017/18 para exportação foram de 1,61 milhão de toneladas, acima das expectativas do mercado, acumulando 16,99 milhões na temporada. As vendas 2018/19 foram de 1.000 toneladas.

As vendas de milho 2017/18 somaram 1,046 milhão de toneladas, acumulando 10,5 milhões na temporada. Não foram reportadas vendas 2018/19.

A Bolsa de Cereales estima novas perdas de 70 mil hectares nas áreas de trigo da Argentina devido ao excesso hídrico, somando-se aos 80 mil hectares já perdidos na semana anterior, alcançando uma perda de 150 mil hectares na safra 2017/18, concentradas principalmente na província de Buenos Aires. Em 45% dos 5,35 milhões de hectares as lavouras estão com excesso de umidade.

A colheita de milho na Argentina está praticamente concluída. Na última semana a colheita avançou 1,1 ponto percentual, para 98,1% colhido. A estimativa de produção se mantém em 39 milhões de toneladas, contra 41 milhões da estimativa do USDA.

O dólar opera em baixa frente a outras moedas com a forte alta da libra após o Banco da Inglaterra manter a taxa básica de juros da economia inalterado em 0,25% a.a., porém sinalizando possível aumento nos próximos meses.

Dado de vendas no varejo dos EUA decepciona e dólar pesa. O Departamento de Comércio informou hoje que as vendas do comércio varejista dos EUA caíram 0,2% de julho para agosto, enquanto o mercado esperava alta de 0,1%. O núcleo de vendas, que exclui itens voláteis como automóveis, subiu 0,2%, ante expectativa de alta de 0,5%.

No Brasil, a moeda abriu com leve alta e agora vale R$3,1160, +0,02% (10h15). Como esperado, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer por obstrução à Justiça e organização criminosa. A expectativa é de que a denúncia seja derrubada na Câmara dos Deputados, mas que pode atrapalhar o andamento das outras reformas. Após 1 mês de ausência, o Banco Central volta ao mercado de câmbio. A autoridade anunciou leilão de até 12 mil contratos de swap cambial tradicional para o dia de hoje, para rolagem dos contratos com vencimento outubro. Mantendo este ritmo, o BC só deve rolar parcialmente os contratos com vencimento outubro. Ontem a moeda caiu 0,72%, a R$3,1155.

As bolsas mundiais operam majoritariamente em baixa após novo teste balístico da Coreia do Norte, que cruzou o céu do Japão antes de cair no oceano, assim como aconteceu no último dia 28. Na Europa, explosão no metrô de Londres já é tratado como atentado terrorista.

No Brasil o Ibovespa opera com leve alta após leve correção de ontem.

Os futuros do petróleo seguem em alta após relatório da Opep mostrar queda na produção da commoditie dos países integrantes mais Rússia no mês de agosto, aumentando as expectativas de redução nos estoques.


CLIMA

 

No Brasil, o tempo segue chuvoso no Rio Grande do Sul durante o fim de semana. No restante do país o tempo segue seco e as temperaturas elevadas.

Previsão de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Desvio de Precipitação Brasil, 7 dias, em milímetros.

Na Argentina, tempo predominantemente seco durante o fim de semana.

Previsão de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Previsão de Desvio de Precipitação Argentina, 7 dias, em milímetros.

Precipitação Observada Argentina, 24 horas, em milímetros.

Nos EUA, as chuvas voltam ao Meio-Oeste durante o fim de semana, porém não devem ser suficientes para recuperar a umidade do solo nas regiões mais necessitadas, como no Illinois e leste do Iowa.

Previsão de precipitação EUA, 72 horas, em polegadas.

Precipitação observada EUA, 24 horas, em milímetros.

Precipitação observada EUA, 7 dias, em milímetros.

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA alerta para a chegada da Tempestade Tropical Jose na costa leste, e para o desenvolvimento da Depressão Tropical Fourteen, no meio do Oceano Atlântico.


PRÊMIOS

 


MATÉRIA DO DIA

 

GM está vendendo carro elétrico na China por apenas US$ 5,300

Por Ademilson Ramos, Engenharia É


Boas notícias para os consumidores chineses. Esta semana, a General Motors começará a vender o pequeno carro elétrico que custará apenas US$ 5,300 após incentivos nacionais e locais para veículos elétricos.
Quando com bateria totalmente carregada o ”carrinho” de dois lugares podem atingir velocidades de 100 km/h e viajar aproximadamente 155 km com uma única carga.
O E100, que foi equipado com um motor elétrico de 39 cavalos de potência, é o primeiro carro elétrico da Baojun. Os preços do veículo começavam em RMB 93.900, ou aproximadamente US$ 14,000 antes dos incentivos.
As comodidades incluem um sistema de entretenimento com tela de 7 polegadas e Bluetooth embutido . Para medidas de segurança, todas as versões do carro possuem sensores de estacionamento e sistemas de alerta para pedestres. Aqueles que investem em modelos high-end também podem bloquear e desbloquear o carro usando um touchpad.
De acordo com dados da LMC Automotive, a Baojun – uma marca de automóveis de mercado em massa da joint venture  SAIC-GM-Wuling da General Motors – é uma das marcas de automóveis mais popular da China. Ficando abaixo de Volkswagen, Toyota, Honda e Buick. Considerando que a China atualmente representa 40 por cento de todos os veículos elétricos vendidos em todo o mundo, é claro que há uma demanda por veículos não poluentes. Como resultado, o ranking da Baojun pode muito bem aumentar.
Até agora, mais de 5.000 pessoas se registraram para comprar os primeiros 200 veículos. Outros 500 serão disponibilizados ainda esta semana. Alegadamente, os compradores serão escolhidos de acordo com a ordem de chegada, o primeiro que chegar, leva pra casa o carro. Um porta-voz da GM revelou que as primeiras vendas serão inicialmente limitadas à região de Guanxi, no sul da China. À medida que o carro se torna mais popular, a GM planeja vender os carros mais amplamente no mercado chinês.


Compartilhe nas redes sociais

Seja o primeiro à comentar.

Enviar comentário